domingo, 1 de agosto de 2010

Perfil Falso

Para que acreditassem no homúnculo,
Furtei fotografias daquele que coubesse no que cri ser masculino,
Dei a voz de próximos sem poder usá-la,
Instiguei o veneno da livre transição entre valores,
Concedi a forma frágil mas ainda de homem
Para mascarar meus próprios espasmos
E brinquei de Deus por entre esta arquitetura erguida para a minha escravidão.