sábado, 14 de agosto de 2010

Nihil Obstat Quominus Imprimatur

Feito um subproduto,
Um resíduo enriquecido,
Cumpria-se aquela alma de retalhos mal costurados
E colhidos sem querer através da paixão em tormenta.

Repetia dúvidas alheias feito sido suas,
A pobrezinha,
Repetia-as a pensar que pensara,
Feito ladainha,
Prece inútil,
Placebo de torrões de açúcar para o próprio suicídio.

Cria-se nada por tudo
E tudo lá fora correndo feliz
À medida do possível,
Ao prazer do improvável,
Enquanto o seu desejo em letargia,
Dopado de solidão,
Sera domado por um vinco seco e inexistente de fato.