terça-feira, 24 de agosto de 2010

Luna Leve

Quando esperou uma deusa indecifrável,
Um achado de ninguém,
Encontrou-me com as pernas mortas a envergonhar-se de minhas escaras
E só tentou conter o nojo e a decepção.