segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Brincando com os Pavões

Quem é essa mulher desejada por todos,
Somente conhecida por poucos clarões?
Como se comporta sem a capa de cinza
Protegendo a raridade que jamais se desfaz?
Donde vem o agudo do tom da sua vida
Aguardado em ansiedade por suas paixões?
Quem tem paciência para os seus caprichos
E coragem sincera para o fim da sua paz?