segunda-feira, 12 de julho de 2010

Michê

Eu vou me perder,
Eu vou
Nos braços de meus ídolos amaldiçoados,
Carente de fato pelo estigma de ostra,
Contente com a via de obscuração.

Eu vou invadir,
Eu vou
Na ladainha prosaica de uma mulher iludida por si,
As decadentes cidades eternas
Para responder-me e ao mundo que nasci.

Eu vou explodir de raiva
Gotejando felicidade em testas de gente amordaçada feito eu.