sexta-feira, 30 de julho de 2010

Memismo

Quero o teu meme agora,
Brotado de toda esta prosa envernizada e regular que vomita,
Fundido a partir dos fragmentos de colisões entre estas estafermas pseudo-intelectualóides.

Quero o teu meme nu,
Virgem e louco para trepar com tudo que aí está,
Ligar-se ao mundo para persistir-se,
Compor-se aos demais a fim de dominância.

Quero o teu meme no tom que venha,
A tua existência ratificada,
O teu motivo pra tanto lixo,
A tua verdade desconstruída.