sexta-feira, 11 de junho de 2010

Vila Dúbia

As pessoas,
Nascidas dos Tupinambás ou filhos das misturas com culturas imigrantes,
Viviam do prover opulento da verdura do lugarejo
A trepar em duplas até quartetos e fazendo mais gente que quase toda ia embora antes de adulta.
Os líderes,
Velhos exilados por disfunção social,
Organizavam as festanças de quitutes para a coesão em nome de alguém amedrontador,
Mas que juravam todos amar apesar de nunca o terem visto.
O Administrador,
Um glutão pançudo primo do Coronel que o indicou para que o Prefeito o indicasse,
Deixava as coisas acontecerem feito o urbanismo da cidade,
Na formalização das vias que as mulas traçavam sonolentas e dos espaços que a miséria reclamava.
Eu,
Lá de visita,
Tentava fingir ter clara a verdade deles para evitar a estranheza,
Mas combater a estranheza com afagos é tão estranho que me tornava um cafajeste para qualquer que fosse o lado,
Até o meu.