quinta-feira, 3 de junho de 2010

Inocência de Assassino

Meus olhos me sustentam pobre,
Miserável para quem padece de opulência:
Provam mundos desprezando seus venenos.