sábado, 5 de junho de 2010

Dos Fragmentos Acumulados à Vida

Eu te declaro viva,
Ou melhor,
Reconheço-te parte de minha existência,
Desejo-me porção da tua.

Eu me declaro espantado,
Pois como pude exacerbar minha falta em sonhos
Cegando-me diante dos teus?