sábado, 12 de junho de 2010

Água de Esculpir

Um dia desejei migrar de corpos,
Evitar o fim da minha aspereza aos solavancos desta margem menos bonita,
Impedir o meu próprio fim,
Pois quando pela tormenta fui brutalmente extirpada da minha mãe solidificada fazia milênio,
Vi-me uma e só,
Porção corrompível de coisa em vida útil para algo ou alguém desconhecido,
Rodando aos ventos e tempestades até esta fonte
Que me consumiu menos do que moveu,
Dedicou o seu século recente a todas estas feito eu.