quinta-feira, 3 de junho de 2010

Abandonos

Pois é na esperança ao esforço iludido
Que a gente se enforca,
A gente se estranha,
Desperta gemidos de outras jornadas,
Assume os bandidos há muito esquecidos
E finge viver.