quinta-feira, 20 de maio de 2010

Orgulho Cadente

Não há a tortuosidade d'alma feito a de todas as almas,
Só um corpo doente que a acorrenta
E algumas experiências felas da puta.
Não há olhos a serem abertos,
Cegados a pulso foram para a liberdade de um simulacro incomum:
Sem a quentura de corpos de qualquer gênero
E a bravura de antíteses de qualquer ideia
Vou
Sem pedir ajuda.