sexta-feira, 7 de maio de 2010

La verità in cimento

Quiçá descobriremos o momento
Em que teu véu à queda sopra
A sonata triste de não ter razão de existir
E neste tempo irretocável,
Calhado de desvios de reprodução e captura,
Dançaremos a tua soltura durante a rigidez de um primeiro movimento.