quinta-feira, 6 de maio de 2010

Fim

Depende do peso das pálpebras,
Do ócio da alma,
Do vigor dos sonhos,
Do torpor dos lábios.
Compreende o quanto te desejo,
A fome em teu corpo,
O pouco que nos resta,
A nossa indiferença.