quinta-feira, 13 de maio de 2010

El Secuestro de la Diosa del Mar

De vermelho a xenônio
Por um truculento abismo,
Eu minto,
Eu sinto
O teu corpo tremer de medo
E voo,
E impeço
Que a vida nos aprisione
Com fome
De gestos
E espaços
Que nos comportem sem sede
De virmos
Agora
À hora
Que temos certeza de que a mensagem chegou.