sábado, 17 de abril de 2010

O Mito, a Lei, o Tempo e os Olhares Punitivos

Temerosa pela muralha que me cercava,
Poleiro de arqueiros
Com os seus arcos e bestas
Todos apontados para mim,
Ordenados a desfazer-me da carne
Assim que eu me pronunciasse,
Calei-me.

Temerosa pela muralha que me cercava,
Poleiro de arqueiros
Com os seus arcos e bestas
Todos apontados para fora,
Ordenados a desfazê-lo da carne
Assim que me convencesse,
Calei-me.

Temerosa pela muralha que me cercava,
Poleiro de arqueiros
Com os seus arcos e bestas
Todos apontados para nada,
Preparados a se desfazerem da carne
Assim que eu me ordenasse,
Calei-me.