quinta-feira, 1 de abril de 2010

A Janela

Toda vez que volto àquela janela dá um descompasso no coração,
Um desejo de desmentir-me,
Denegrir-me.
Toda vez que redecoro aquela janela há um estímulo de indulgência,
Prepotência,
Ilusão.