terça-feira, 13 de abril de 2010

Ciberburlesco

Esta porra de toalha curta demais,
Merda de janela escancarada,
Caralho de pó-de-arroz empastelado
E rabo de arrastão rasgado
Não me deixam em paz,
Não me permitem quem sou
Aos jornais,
Aos banais,
Aos sutis.