sábado, 24 de abril de 2010

A Chuva

- Quando não apenas desejar,
Mas também quiser,
Tudo verás! - prosseguia o escondido em sua prece de nostalgia vulgar
A fim de convencer a rapariga dalgo que o pequeno corpo explodido faria
Mesmo obrigado à gélida remodelagem.