domingo, 11 de abril de 2010

Até o Fim

Contido aos lábios rachados pelo sintoma,
Encalacrando-se pela vergonha de si mesmo,
Traçava caminhos presentes em seu espírito,
Rotas de um universo que não o absorvera.

Reprimido às pressões no peito e nos desejos,
Penitenciando-se pelo anseio de si mesmo,
Rompia alicerces feito causo de assombração,
Dissecando-os sem corromper qualquer algo que os mantinha de pé.

(...)

Assim ia sem o toque,
Acreditando concretizar o triplo distante,
Mesmo descrente dos próprios feitos,
Mesmo insistente no contracrido.