domingo, 18 de abril de 2010

Acode

Dum microcosmo ignorado àquele surgiu a garota
Toda borrada,
Coberta de merda e trapos desfiados à força,
Semblante de horror tapado por bosta,
Fedendo a cocô e à estranha liberdade.

- Acode a menina! - gritavam só por gritar,
Sem acudir,
Sem se ousar. - Acode, faz alguma coisa!