segunda-feira, 29 de março de 2010

Um Beijo e um Murro, Próximos e Distintos

Para dizer-te,
Enfim,
Que a paz jamais nos bastaria,
Nunca nos encantaria;
Desejamos o sangue do algoz borrando a própria face,
Seus dentes no chão
E o chão para si,
Assim,
Num final feliz de verdade.