domingo, 7 de março de 2010

O Suicídio

Se se entrega ao sono implorado pelo espírito,
O hibernar da própria selvageria amedrontadora,
Chamaríamos de coragem o sonho?

De toda esta mortandade reunida,
Organizada instintivamente a fim da atenção alheia,
Quase sem querer e a combater-se dos guias regulares,
Chamaríamos de coragem a vida?