sexta-feira, 5 de março de 2010

O Libertino

Não saia daqui,
Não mais,
Resguardar-te-ei assim
Serena e virgem como se não fosse só pra mim.

Não tente fugir:
Não vai!
Preservar-te-ei sem fim;
Retardo a morte por não poder ver de onde vim.