sexta-feira, 19 de março de 2010

O Abandono

- O dono da virtude é o melhor dos mentirosos,
O mais hábil dos canalhas,
O senhor dos cafajestes. - afirmou antes de partir, Lorena.

Talvez por moral tão rígida,
Tão pouco abstrata que assim se assemelhava à própria lei vigente-
Uma lei a perseguir-se feito um cão à caça do próprio rabo,
Desiludiu-se pela falta de entrelinhas degustáveis,
De jogos de poder,
De sinas de amor.