quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Desejo, Sim

Desejo o teu olhar pra sempre;
Calá-lo jamais,
Este olhar de serpente.
Desejo o teu desejo tosco;
Pura solidão
Ou o fundo do poço.
Desejo esta limpeza imunda
Do desperdício que estou
À tua inocência profunda.
Desejo a fome que te move
Olvidando quem és-
A minha paz te resolve.