sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Outra Dúzia de Coisas

Cada ranhura de digital
E arranhão, e corte profundo, e lesão sem cura por tuas unhas.
Cada incisivo cravado à fúria
E agarrado, e deslizado, e arroxeando um bem sensível.
Cada gota de saliva menos morna do que o corpo
E menos morta do que a vida, e viva, e viva!
Cada descuido para que enfim a descoberta da ilusão que nos incita
E desperta, e liberta, e enjaula.