sábado, 16 de janeiro de 2010

Lugar Comum

Nossa cultura ainda conserva a conveniente demência cristã
E não é neste século,
Ou no próximo,
Que iremos mudar;
Feito o batido jargão que relata a mulher como alguém que ama ser enganado,
A mentira é,
Para o gênero masculino,
Mesmo que deveras angustiante contra a plenitude de suas faculdades emocionais,
Uma ferramenta de libertação a estes territórios inexistentes.

Aos mais audaciosos,
Até a dor da fêmea pela separação é doce;
Desde que não incomode o novo destino,
É doce.