terça-feira, 26 de janeiro de 2010

La Peleadora

Dorso de lutadora,
Largo,
Salgado à fome,
Blasfêmia à fantasia.

Quis, sim, mais mediocridade até em si,
O todo tão frágil feito o que é,
A lama tão berço como se propõe.

Voz,
Áspera de timbre tão doce,
Contingenciando os fins distantes,
Amando agora.

Atingiu, sim, destinos tão curtos
Que são quistos eternos,
Temperos tão novos
Que se assemelham ao passado.