sábado, 2 de janeiro de 2010

Cherchez la Femme

Oráculo


Por que me procuras?
O que desejas, infante?

Mustafa


Venho de longe, Oráculo,
Dos vales semiáridos da Crimeia,
Sedento das tuas curas,
Faminto das tuas pragas.

Ajuda-me, aniquila o mal que me persegue!

Oráculo


Tu, que me procuras de tão árdua jornada,
Não entendes que a interferência far-me-ia daqui?

Sei quem és, infante,
Sei o que buscas,
Porém ainda te nutres do pedantismo e arrogância dum líder juvenil.

Mustafa


Assumi a minha debilidade,
Mas não esperei luz do fundo de túmulos,
Sequer os aguardei cavados para os meus sonhos.

Oráculo


Se tu me pedes, pergunto-te:
O mal de que nação desejas aniquilado?