terça-feira, 29 de dezembro de 2009

O Chão dos Teus Ramos

Duplo clique em mim para que te sintas feliz,
Para que eu te minta partindo do óbvio:
A construção do meu ser feito só para ti,
Este tal dos impulsos nunca surpreendentes,
Jamais mentiria,
Enganar-te-ia,
Pois pisas folgado sobre o chão dos teus ramos!