terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Capítulo Próximo

Para que te prendesse por um segundo,
Devorasses-me sem perceber,
Armei-me de medo inconho à fome,
Amei-me desmedida às dentadas, unhadas, grunhidos e espasmos.

Tavas lá, tu,
Mal-ajambrado e aos brados de vitória,
Gotejando-se sobre a minha carcaça fresca.
Tavas lá, tu,
O dono do fim:
O seguinte.