quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Amanhecer

Não sou a folha de papel em branco,
Mas a mim canta a lama pegajosa,
Entontece-me a fim de mudar-me à direção deste rio fantasma
Tão parecido quanto onde fui.

Não sou mais a iniciada,
Nem desejo a ressurreição:
Eu quero neste planeta;
No outro,
Não!