terça-feira, 3 de novembro de 2009

A Prenda e o Caudilho

A cara de nojenta,
O caos,
A mentira a guiar-me médico,
O sonho a enforcar-me cético,
O amor na inconstância vil,
A camarilha sem um velho ator,
O fulguroso repetente transe
E a voz
Esturrando tudo o que se move.