sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Palhaço sem Pó-de-Arroz

Vai de mal,
De mala e cuia,
De destempero,
E ninguém sabe direito o motivo da revolta.

Tem o seu jeito
Meio sem jeito,
Mas é o jeito que tudo o espera;
A cicatriz
E a tal feiura,
De tão marcantes são imortais.