terça-feira, 11 de agosto de 2009

Epitáfio de um Cibercangaceiro

Você,
Meu rubi de alicerces frágeis,
Minha pequena porção de sonho,
Não precisa me pedir a imortalidade:
Transpira-lhe,
Condena-me.