segunda-feira, 27 de julho de 2009

Do Limite Sensível

Aos olhares vacilantes,
Vagantes aonde permitira o sono,
Nuvens de concreto pintadas de silício
Travaram a batalha contra o impossível:
Não há o toque,
Ainda não há,
Diluído a tantas sensações.