sexta-feira, 26 de junho de 2009

A Víbora e o Rato

Apesar de arremessos protetores,
Presos a caules e caudas,
É a belicosidade de garras e dentes que a encanta,
É a defesa conquistada pelo golpe que a entorpece.

- Sê a presa, brinquemos! - pediu-me,
Munida do sorriso de aparência atormentada.
- Um piscar de olhos. - parti,
Aceitando o desafio.