sexta-feira, 12 de junho de 2009

A Rosa

Mesmo que eu não queira,
Molde para qualquer par de olhos,
Motivo dos fins embuçados,
Mote de decisões estúpidas,
Imperdoáveis.

Sempre oculta,
Refletida e magnífica,
Corrompendo as belezas vizinhas,
Acinzentando-as,
Que força teria arrancada da lama?