sexta-feira, 19 de junho de 2009

O Corpo e o Fracassado

Meu corpo farto que odeio,
Repleto de sinas,
Vermelhidões sem tratos eficazes,
Não me importou durante os dias em que tive aquele homem.

Dançarino inábil,
Admito,
Conduzido por Tânatos até quase o sucesso,
Desviando-se fracassado da minha sede vaidosa de mostrá-lo meu,
Porém cego,
Talvez míope de entorpecido,
Corria a carne contra a minha sem pudores.