quarta-feira, 17 de junho de 2009

Já Passou

Sonhos para enganar insones,
Corruptelas para afligir temporais;
Gal é a mulher dos meus desejos
E Chico, o homem.

Onde estou agora?
Sabe-se lá,
Nem eu sei;
Quem sabe em Nagóia a fim duma exibição,
Ou em Londres para vender as minhas almas.

Horrores expostos,
Bucetas à mostra,
Distâncias para ver,
Tempo nenhum para sentir...
Onde estou agora?
Nem sei,
Já passou.