terça-feira, 26 de maio de 2009

Supressão

(Se despertou delicadeza surrada por ser bela
E alma doente de amores doutros corpos,
Não importa se reduz o ânimo das coisas todas
Ao pré-encontro da fusão de sonhos no egoísmo para ser feliz)
Quem quer que toque,
Até mesmo todo o mundo trepado por um biombo luminoso de matina,
Que entenda das promessas simbióticas e parasitárias nos bordados para a glória.