segunda-feira, 11 de maio de 2009

Ciranda

Uma semi-eternidade para este mural,
Pois decanto o impossível afim dum lodo de cor primária,
Uma aberrância xaroposa...
E é empastelando que vou,
Marcando a imprecisão duma tremeluzente ironia.