segunda-feira, 20 de abril de 2009

Olheiras e Gelo Nenhum

Não houve a perdição no silêncio que compreendemos;
Atrozes feito o silêncio da morte,
Curamos tais ofegâncias com a falta de sono.