sexta-feira, 3 de abril de 2009

O Tudo e o Nada IV

Eu sou tudo:
Você
Que abstrai as construções reduzindo-as a nada
E as reconstrói faltando peças para jamais voltarem a funcionar.

Você é nada:
Eu
Que chego a tocar estrelas sem ousar queimar-me todo
E as copio num louvor de falso profeta aprisionado.