sexta-feira, 24 de abril de 2009

Nego II

Acerca do que me despreocuparia,
Trairia o mesmo para que o equidistante fosse a alma de cada um:
Uma praça pública de silício em qualquer favela ou condomínio,
Um braço erguido por desejo em cada íris ou polegar.