domingo, 5 de abril de 2009

Aversão Platônica aos Pós-Dadá

Não há revolta absoluta para o seu sonho, senhor manifestante,
Pois precisaria negar as sementes do que reorganiza com a razão de uma suposta loucura,
Necessitaria rasgar as dimensões do que descreve com a associação de percepções da natureza.

Não confunda o sonho com a fantasia consciente, senhor manifestante,
Virtualizada em realidades fundidas por maravilha qualquer,
Testemunhadas num ordenamento distante de qualquer impulso abstrato.