quarta-feira, 1 de abril de 2009

Simultaneidade

Não sou paciente o bastante para render-me à coerência dum único modo de ordenamento;
Entre Deus, deuses e o nada fico com todos,
Pois otimismos utópicos e pessimismos suicidas são igualmente atraentes,
Quiçá magníficos.

Transito entre realidades como criança,
Desfazendo ou ajuntando conexões e recompensas orgânicas por um gozo mais colorido e distinto,
Um gozo novo.