quinta-feira, 19 de março de 2009

O Oceano Inteiro

São tão possíveis que me impulsionam ao erro,
Induzem-me à posição restrita pelos braços quase paredes,
Mas está certa quanto à impreenchibilidade,
O mundo coexiste acorrentado à caverna;
Ondeando as sombras da própria caverna,
Crio os meus deuses e finjo estar livre,
Flutuo e transcendo amparado na fera a que me reduzo.