segunda-feira, 9 de março de 2009

Mestiçagem

Distorço-me em mulher,
A porção de luz que é Deus
A parir sexuado,
A visitar o inusitado para arrancá-lo de volta com os seus novos aforismos.

Contorço-me em sensações
Que mais parecem o veneno desprovido do seu fim,
Toda a sede que me rasga desfeita antes de percebida,
A intempérie que crê na novidade do processo mestiço.

Amo a ilusão
De mim para mim mesmo;
Não quero ser curado.